25ª ExpoSORN e o esforço, no Rio Grande do Norte, para salvar a Cattleya granulosa

  • Texto: Ademir Vicente de Oliveira – Vice-Presidente da ACEO
  • Fotos: Ademir Vicente, Edison Mattos e Emilly Bezerra
Edison Mattos fala, na 25ª ExpoSORN, sobre seus estudos visando ao melhoramento genético e à preservação da C. granulosa.
Cattleya granulosa
Cattleya granulosa

A Associação Orquidófila do Rio Grande do Norte (SORN) comemorou em agosto seu Jubileu de Prata realizando a 25ª ExpoSORN, que teve como cenário o Orquidário do Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente do RN (IDEMA). Na exposição, ganhou destaque a Cattleya granulosa, planta nativa mais representativa do Estado e à qual foi destinado um local especial dentro do Orquidário.

A ExpoSORN 2017 levou a Natal a orquidófila Maria do Rosário Braga, da OrquidaRio, que foi homenageada como Sócia Emérita da entidade, em reconhecimento pela apresentação de artigo relacionado à Cattleya granulosa em congresso internacional realizado na Costa Rica. A programação também incluiu palestras e a divulgação de estudos relacionados às orquídeas, que estão em curso no Rio Grande do Norte. Gleide Brandão falou sobre “O cultivo de orquídeas no RN” e o engenheiro e produtor rural Edison Antonio de Mattos, proprietário do Orquidário Eds Mattos, discorreu sobre “Cattleya granulosa, a orquídea mais representativa do RN”.

Edison Mattos, natural do Rio Grande do Sul, transferiu-se para Natal em 1999, onde concluiu o curso de Engenharia Civil na UFRN. Ele se dedica às orquídeas desde os 11 anos de idade e, há 29 anos, mantém um orquidário voltado para produção de flores de alto padrão e a arte floral. Também conduz um aprofundado estudo sobre a Cattleya granulosa, juntamente com instituições de pesquisa do RN.

Cattleya granulosa
Cattleya granulosa

A palestra por ele oferecida na ExpoSORN aconteceu em meio a um cenário exuberante, na área externa do IDEMA, à sombra de frondoso cajueiro, árvore típica da região. Perante um público de orquidófilos e orquidólogos de Natal e de outras cidades, presentes ao evento, Edison, primeiramente, fez um resgate conceitual regionalizado sobre a Cattleya granulosa no RN e, em seguida, enfatizou aspectos voltados para a preservação e conservação dessa espécie nas restingas potiguares. Finalmente, propôs um modelo de conservação da C. granulosa, que objetiva resguardar os habitats da coleta predatória e promover o melhoramento genético da orquídeas.

O projeto de melhoramento genético da Cattleya granulosa iniciou-se em meados de 2005 e, desde então, Edison Mattos vem coletando informações sobre os hábitos de nutrição, influências virais, novas formas, variações e mutações genéticas e variações cromáticas da espécie em seu habitat e também em sua coleção clonal.

No que tange à classificação cromática (não confundir com variedades), o palestrante referenciou os conceitos e as bases científicas adotadas por seus estudos, a partir de John Lindley, que registrou em 1842 a primeira descrição da Cattleya granulosa.    Conceituou a definição de máculas (manchas ou pontos circulares, cuja coloração varia de rosa claro, passando pelo vermelho e púrpura-escuro, que difere dos pigmentos das pétalas e sépalas). A partir daí, optou por subdividir a planta tipo em: Cattleya granulosa tipo (isenta de máculas); Cattleya granulosa tipo maculata (apresenta máculas bem distribuídas de forma generalizada) e Cattleya granulosa tipo extra-maculata (apresenta grande quantidade de máculas).

Ademir (à dir.) confraterniza com os orquidófilos reunidos em Natal.

A classificação da Cattleya granulosa forma jaimeana, descrita pela engenheira Lou C. Menezes, foi mantida, porém, adaptada a cinco novas adaptações da classificação: a jaimeana padrão, com a presença de máculas e labelo com sopro rosado; a jaimeana imaculata, sem a presença de máculas e labelo com sopro rosado; jaimeana extra-maculata, com grande concentração de máculas e labelo rosado; jaimeana potiguar, com pétalas e sépalas verde-amareladas com máculas vermelhas, labelo com leve sopro rosado ou branco, com pouca presença de grânulos rosados; e a jaimeana íntegra, com pétalas e sépalas verde-amareladas, com máculas vermelhas e labelo totalmente rosado.

Edison Mattos (Orquidário Eds Mattos) recebe o Troféu Colibri de Prata para a planta Campeã Geral da 25ª ExpoSORN. Com ele, Maria do Rosário Braga, da OrquidaRio, homenageada como Sócia Emérita da SORN pelo trabalho sobre a Cattleya granulosa apresentado em congresso internacional de orquidologia na Costa Rica.

Preocupado com o crescente quadro de coleta predatória e devastação ambiental praticado no RN, Edison chamou a atenção para os Mecanismos de Proteção e Conservação da Cattleya granulosa:

  • Instrução Normativa nº 11/2011 do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (IBAMA), que regulamenta o transporte de planta proveniente da flora nativa regional em perigo de extinção em território nacional;
  • CITES – Convenção Internacional Sobre o Comércio de Espécies da Flora e Fauna Selvagem em Perigo de Extinção, assinada por mais de 100 países, e responsável pela regulamentação do comércio internacional de plantas, com destaque para as listas de espécies ameaçadas em extinção;
  • IDEMA – Instituto de Desenvolvimento Sustentável do Meio Ambiente, responsável pela liberação de licença a nível nacional no Rio Grande do Norte. Também é atribuição desse órgão a implantação e manutenção das áreas de proteção ambiental do Estado do RN.
  • Polícia Militar (Guarda Ambiental,  que oferece suporte ações de fiscalização e flagrantes;
  • Polícia Federal;
  • Prefeituras Municipais: através do Pano Diretor que também estabelece áreas de conservação.
  • Guarda Municipal – Prefeitura Municipal.
Cattleya granulosa
Primeiro cruzamento de matrizes de origem potiguar visando ao melhoramento genético da Cattleya granulosa, produzido por Edison Antonio de Matos. Mãe (à esq.): C. granulosa forma áurea maculata ‘Mattos Celebration’. Pai (à dir.): C. granulosa forma tipo ‘Mattos Legendary’.

Durante mais de 16 anos de pesquisa baseadas na ética com a natureza, Edison Mattos montou uma coleção clonal de exemplares que tem potencial para serem inseridos na cadeia produtiva de flores através do melhoramento genético. Tais características, como cores, texturas, perfumes, formas, vigor, porte, florações, resistência às pragas, se tornam uma nova frente de conservação e preservação da Cattleya granulosa, uma vez que os exemplares resultantes do melhoramento genético devem chamar a atenção da cadeia produtiva de flores (horticultura) e do mercado consumidor, retirando o foco das orquídeas no habitat natural.

Com um olhar à frente de muitas pessoas, Edison Mattos busca, em seu projeto, o equilíbrio entre a conservação e a preservação, utilizando a tecnologia criada pelo homem, através da semeadura in vitro e hibridação de orquídeas, para cruzar plantas tecnicamente perfeitas e obter gerações de orquídeas superiores.

Visita ao Orquidário Eds Mattos

“Catedral da natureza”, cenário desenvolvido por Eds Mattos para ensaios fotográficos e casamentos na Capital potiguar.

Concebido em meados de 2008, o Orquidário Eds Mattos, localizado na zona rural do Município de Nísia Floresta/RN, na Região Metropolitana de Natal, foi projetado pelo engenheiro civil Edison Antonio de Mattos, atual proprietário. O Orquidário possui uma estrutura que suporta 20.000 orquídeas suspensas ao longo de suas alamedas.

Inicialmente, o projeto se destinava à produção de flores para ornamentação de festas e eventos sociais do Rio Grande do Norte, e também ao turismo. Posteriormente, a procura pelo espaço para seções de fotografia e busca da arte floral de Edison o transformou em um referencial.

O Orquidário Eds Mattos mantém uma coleção de orquídeas híbridas e espécies históricas e de alto potencial econômico que são destaque no Nordeste e também abriga a coleção clonal de Cattleya granulosa de Eds Mattos, sobre a qual estão sendo realizados os trabalhos de melhoramento genético da espécie no RN e desenvolvidos estudos voltados para as contaminações virais de exemplares de Cattleya granulosa.

Referências:

MATTOS, E. A. Palestra. [ago. 2017]. Rio Grande do Norte. Palestra proferida por ocasião da Exposição de Orquídea da Associação de Orquidofilia do Rio Grande do Norte – SORN – Cattleya granulosa a orquídea mais representativa do Rio Grande do Norte.

CLASSIFICAÇÃO DA CATTLEYA GRANULOSA NO RIO GRANDE DO NORTE (2017). IN http://www.orquidarioedsmattos.com.br, acessado em 03 de setembro de 2017 em http://www.orquidarioedsmattos.com.br.

Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone
Compartilhe nas redes sociais

4 comentários sobre “25ª ExpoSORN e o esforço, no Rio Grande do Norte, para salvar a Cattleya granulosa

Deixe um comentário