Orquídeas da Primavera-2017, nas imagens de Carlos Keller

Jardim Botânico, o mais belo recanto da mais bela cidade brasileira. (Foto: Carlos Keller)

O paisagista carioca Carlos Keller, amante e grande conhecedor das orquídeas, viu e fotografou a exposição “Orquídeas da Primavera”, realizada, pela OrquidaRio, nos dias 1º, 2 e 3 do corrente mês de setembro. A nova edição do evento reuniu cultivadores e orquidários comerciais, que levaram ao Jardim Botânico do Rio de Janeiro suas mais belas flores, para encanto dos milhares de visitantes. Keller buscou o ângulo perfeito, para cada orquídea enquadrada por sua câmera, e produziu imagens magníficas, que realçam cores, formatos e texturas. Segue-se uma pequena mostra do que ele colheu, ao percorrer as alamedas do orquidário daquele parque botânico, onde se realizou a exposição.

Ascocentrum
Ascocentrum christensonianum (Vandário Paraty) – Foto: Carlos Keller
Blc. Amy Wakasigi
Blc. Amy Wakasugi ‘Yamanashi (Orquidário Binot) – Foto: Carlos Keller
Cattleya amethystoglossa
Cattleya amethystoglossa (Orquidário Oriental) – Foto: Carlos Keller
Cattleya granulosa
Cattleya granulosa (Orquidário Florália) – Foto: Carlos Keller
Cattleya intermedia flammea
Cattleya intermedia flammea (Orquidário Oriental) – Foto: Carlos Keller
Cattleya loddigesii pelorica (Orquidário Imperial) – Foto: Carlos Keller
Cattleya lueddemanniana semialba
Cattleya lueddemanniana semialba (Orquidário Bela Vista) – Foto: Carlos Keller
Cattleya lueddemanniana tipo
Cattleya lueddemanniana tipo (Orquidário Bela Vista) – Foto: Carlos Keller
Cattleya Orquidáceas 1o. Amor (Orquidário Binot) – Foto: Carlos Keller
Caulocattleya Pink Glory (Orquidário Itaorchids) – Foto: Carlos Keller
Cymbidium Dorothy Stockstill Forgotten Fruits AM-AOS (Orquidário Alto da Serra) – Foto: Carlos Keller
Dendrobium nobile híbrido (Orquidário Binot) – Foto: Carlos Keller
Lycaste skinneri alba (Orquídeas & Cia. – Valinhos) – Foto: Carlos Keller
Paphiopedilum [(Voodoo Magic x Raisin Eyes) x (Knock Knock x Red Glory)] (Andrew Fogtman – OrquidaRio) – Foto: Carlos Keller
Sophronitis coccinea levemente ‘borboleta’ (Paulo Pancotto – OrquidaRio) – Foto: Carlos Keller
Vanda amarela (Vandário Paraty) – Foto: Carlos Keller
Vanda Tokyo Blue (Orquidário Imperial) – Foto: Carlos Keller
Zygopetalum Redvale (Orquidário Binot) – Foto: Carlos Keller

Reportagem fotográfica: as exposições de São Paulo sob as lentes de Ademir

O espetáculo de uma Brassolaeliocattleya em Rio Claro

O Vice-Presidente da Associação Cearense de Orquidófilos, Ademir Vicente de Oliveira, nascido no interior de São Paulo, reside e trabalha em Fortaleza, vinculado a uma grande sociedade beneficente com atuação na área hospitalar. Apaixonado pelas orquídeas, sempre que visita sua terra, leva no bolso o calendário de exposições e as coloca em seu roteiro obrigatório. Além de adquirir alguns exemplares, não descuida de fotografar as flores expostas, que é uma forma de prolongar o prazer do percurso entre os corredores de Cattleya, Oncidium, Dendrobium, Laelia, Cymbidium, Pahiopedilum e tantos outros gêneros que florescem generosamente em seu Estado.

Aqui, apresentamos uma pequena amostra de sua “colheita fotográfica” em três dessas exposições: a de Araraquara, em um shopping da cidade; a da AOSP, no bairro da Liberdade, na Capital paulista; e a de Rio Claro, sediada historicamente no Colégio Claretiano. Para o editor do site, não foi fácil, entre centenas de fotos disponibilizadas por Ademir, selecionar aquelas que pudessem representar os três eventos. O que vem a seguir é o resultado dessa filtragem, que, em poucos “clics”, revela a pujança da orquidofilia paulista.

[CONTINUE LENDO…]

Relembrando os cartazes do FestOrquídeas

Cartazes FestOrquídeas

A Associação Cearense de Orquidófilos (ACEO) já criou uma tradição, em Fortaleza, com a realização de sua mostra anual de orquídeas. O FestOrquídeas teve sua primeira edição em 2007, pouco depois de a ACEO retomar suas atividades, após uma década sem agenda oficial. O Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura foi o cenário do evento, que em 2012 se transferiu para a Casa de José de Alencar.

Uma forma de reavivar essa memória é recuperando os cartazes das nove exposições já realizadas. Eles retratam bom gosto e originalidade, revelando o cuidado que a ACEO dispensa a essas peças, cuja produção sempre foi confiada a profissionais das artes gráficas. Enquanto eles elaboram o cartaz deste ano, exibimos aqueles que, nos nove anos anteriores, ajudaram a levar milhares de pessoas a nossas exposições, onde os visitantes puderam fotografar, sentir o aroma, deleitar-se com a grande variedade de formas e cores, e encantar-se com as mais belas flores do planeta.

Confira a sequência dos nossos cartazes do FestOrquídeas e vote no seu favorito ao final deste post.

[CONTINUE LENDO…]

AOSP leva a beleza das orquídeas a Embu das Artes

Cattleya nobilior amaliae 'Mickey Mouse'
Cattleya nobilior amaliae ‘Mickey Mouse’, que conquistou os galardões de Melhor Espécie Brasileira e Melhor Planta da exposição.

A 95ª Exposição de Orquídeas da AOSP-Associação Orquidófila de São Paulo levou uma multidão, nesse último fim de semana (23, 24 e 25 de setembro), ao Parque Francisco Rizzo, em Embu das Artes. O público percorreu, durante os três dias, o pavilhão onde se montou a exposição e os orquidários comerciais, que ofereciam centenas de espécies e híbridos dos mais variados tamanhos e preços. Ao lado, uma feira gastronômica adicionou mais um ingrediente ao sucesso da exposição.

O que se segue é uma seleção de fotos em que o repórter da Associação Cearense de Orquidófilos (ACEO) procura dar uma ideia da beleza e variedade das flores levadas pelos cultivadores paulistas à grande mostra que saúda a chegada da primavera. (Fotos: Italo Gurgel)

Clique nas fotos para visualizar em tamanho completo.

95ª Exposição da AOSP

Lycaste Carmem

aosp2016-22

Epicattleya Rene Marques

Cattleya walkeriana tipo

Blc. Alma Kee Tipmalee

Dendrobium similliae

aosp2016-24

aosp2016-14

Cattleya Graciosa 'Kao'

aosp2016-13

Arpophyllum giganteum

aosp2016-03

Anselia africana

Dendrobium crisotoxum

aosp2016-09

aosp2016-10

aosp2016-36

Orquídeas: quem ama, fotografa (20)

Américo Pereira é o convidado de hoje deste espaço dedicado a fotos das mais belas flores do planeta. Ele é professor aposentado e mora em Terras de Bouro, uma vila do distrito de Braga, no Norte de Portugal. Cultiva orquídeas há mais de 30 anos e, nesta altura, fazem parte do seu acervo mais de 700 plantas, distribuídas por 80 gêneros diferentes e cerca de 250 espécies. Alguns híbridos podem ser encontrados em sua coleção, mas ele prefere espécies, dedicando especial atenção aos Dendrobium, Cymbidium, Maxillaria, Bulbophyllum, Cattleya e Paphiopedilum.

Como o clima da sua região é bastante frio no inverno, com a temperatura chegando facilmente a zero grau, Américo possui duas estufas distintas: uma é aquecida artificialmente nesta época do ano, para o cultivo das espécies provenientes de climas mais quentes; a outra, destinada a espécies provenientes de habitats mais frios, não possui qualquer aquecimento, conseguindo manter a temperatura apenas 3 a 4 graus acima da média relativamente ao exterior.

Américo Pereira é um colaborador assíduo da revista “Lusorquídeas” (Associação Portuguesa de Orquidofilia), do “Jornal do Orquidófilo” (Clube dos Orquidófilos de Portugal) e do jornal da Associação das Orquídeas Silvestres – Portugal (AOSP). Ele estuda, pesquisa  e fotografa in loco as orquídeas silvestres de Portugal e de sítios da Europa, o que resulta, frequentemente, na publicação de artigos sobre as orquidáceas. Para conhecer mais detalhes da sua rica atividade orquidófila, visite o endereço: http://orquideassoltas.blogspot.pt

Seguem-se algumas fotos tomadas por Américo nos seus orquidários:

Cymbidium mastersii
Cymbidium mastersii
Gastrochilus japonicus
Gastrochilus japonicus
Masdevallia laucheana var. alba
Masdevallia laucheana var. alba
Maxillaria funicaulis
Maxillaria funicaulis
Maxillaria luteoalba
Maxillaria luteoalba
Maxillaria sanderiana 'Black Lip'
Maxillaria sanderiana ‘Black Lip’
Paphiopedilum fairrieanum
Paphiopedilum fairrieanum
Phragmipedium schlimii
Phragmipedium schlimii
Pleione maculata
Pleione maculata
Rhynchostylis gigantea
Rhynchostylis gigantea

 

Orquídeas: quem ama, fotografa (19)

Vera Coelho tem forte presença no movimento orquidófilo do Ceará. Participou ativamente da reorganização da Associação Cearense de Orquidófilos-ACEO, entidade da qual foi presidente e vice-presidente, atuando hoje como tesoureira.

As fotos que selecionou para esta postagem incluem os gêneros de sua preferêmcia – Bulbophyllum e Catasetum – mas também a nordestina Cattleya labiata, a Laelia purpurata, típica da Mata Atlântica, e a exótica Pholidota imbricata. Na foto de apresentação, ela aparece envolvida pelo Dendrobium crumenatum que, periodicamente, lança grande quantidade de pequenas flores brancas e perfumadas, atraindo dezenas de polinizadores.

Quando começou a paixão da Vera pelas orquídeas? – Ela tem bem guardado na lembrança esse momento: foi quando uma planta que havia ganho de presente floriu em suas mãos pela primeira vez. Tratava-se de um magnífico híbrido roxo, que se fixou para sempre em sua mente e a arrastou, em definitivo, para o mundo encantado das orquídeas.

Vera Coelho envolvida pelas hastes de Dendrobium crumenatum
Vera Coelho envolvida pelas hastes de Dendrobium crumenatum
Bulbophyllum caranculatum
Bulbophyllum caranculatum
Bulbophyllum careyanum
Bulbophyllum careyanum
Bulbophyllum medusae
Bulbophyllum medusae
Catasetum barbatum
Catasetum barbatum
Catasetum macrocarpum
Catasetum macrocarpum
Catasetum pileatum 'Oro Verde' x imperiallis x vinaceum
Catasetum pileatum ‘Oro Verde’ x imperiallis x vinaceum
Cattleya labiata 'Meu Pai'
Cattleya labiata ‘Meu Pai’
Cirrhopetalum sikkimense
Cirrhopetalum sikkimense
Laelia purpurata
Laelia purpurata
Pholidota imbricata
Pholidota imbricata

 

Orquídeas: quem ama, fotografa (18)

Graziela Meister é a atual presidente da Associação Portuguesa de Orquidofilia. Aqui, ela mostra aos visitantes do www.orquidofilos.com algumas das orquídeas que cultiva no jardim de sua casa, na cidade do Porto.

Entrevistada, um ano atrás, pelo “Boletim ACEO”, Graziela confessou:  “O que me levou a cultivar orquídeas foi sua beleza e formas singulares, que as distinguem de todas as outras plantas. Há 45 anos, encontravam-se muito poucas orquídeas em Portugal e isso também foi um desafio para mim. Tudo começou mais ou menos em 1967, quando costumava ir a um grande horto do Porto, que se chamava Moreira da Silva, e onde encontrei as primeiras orquídeas à venda.Essa paixão de longa data resultou numa bela e bem cuidada coleção, que hoje inclui cerca de mil exemplares de orquídeas, e também numa profunda dedicação ao movimento orquidófilo em seu país. No momento, Graziela organiza a 7.ª Exposição / Venda Internacional de Orquídeas do Porto, que acontecerá na primeira quinzena de março. Seguem-se as imagens de algumas joias do seu orquidário:

Cattleya leopoldii em tronco de jacarandá.
Cattleya leopoldii em tronco de jacarandá.
Coelogyne mooreana.
Coelogyne mooreana.
Dendrobium nobile em tronco de jacarandá.
Dendrobium nobile em tronco de jacarandá.
Laelia purpurata carnea.
Laelia purpurata carnea.
Neofinetia falcata.
Neofinetia falcata.