Amantes das orquídeas marcam encontro em Belo Horizonte no próximo dia 28

Cattleya walkerianaVem aí a 68ª Exposição Nacional de Orquídeas promovida pela Sociedade Orquidófila de Belo Horizonte (SOBH). Será nos próximos dias 28, 29 e 30 de abril, no Minascentro (Av. Augusto de Lima, 785, no centro da Capital mineira). Paralelamente, acontece a 23ª Exposição Nacional de Cattleya walkeriana. As duas mostras poderão ser visitadas entre as 8:00h e 22:00h, sendo que no terceiro dia, domingo, a visitação se encerra às 18:00h. Além da exposição, haverá venda de plantas, assegurada pela presença de alguns dos melhores orquidários comerciais do país.

Acompanhe as notícias sobre o evento pelo: facebook.com/sobh, pelo site http://www.sobhorquideas.com.br/, ou através do telefone (31) 9 9953.0945.

Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone
Compartilhe nas redes sociais

As exposições de orquídeas e o triste espetáculo dos “mateiros”

Comércio ilegal de orquídeas
Comércio ilegal se desenvolve livremente. (Foto: Rogério Sella)

Não haveria “mateiros” se não houvesse compradores de orquídeas “do mato”.

As exposições de orquídeas, que tanto atraem as pessoas para o cultivo dessas flores, se traduzem, sempre, numa grande celebração à natureza. Ao deixar-se encantar pelas orquídeas, o visitante vai interessar-se por diferentes aspectos da orquidofilia e, necessariamente, vai querer, no futuro, proteger as orquidáceas, não apenas em sua estufa e nas árvores do jardim, mas também na natureza.

Contraditoriamente, muitos orquidófilos esquecem as preocupações ambientais e se dobram a uma prática lamentável: a compra de orquídeas surrupiadas de seu habitat natural pelos chamados “mateiros”. Demonstrações dessa prática perversa, por incrível que pareça, acontecem à porta de algumas grandes exposições nacionais, às vistas das autoridades às quais compete coibir o crime ali praticado.

Sim, porque comercializar orquídeas retiradas “do mato” é crime. A coleta na natureza, transporte e comercialização de orquídeas assim obtidas são atos criminosos. De acordo com a Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, em seu Art. 48, “receber ou adquirir, para fins comerciais ou industriais, madeira, lenha, carvão e outros produtos de origem vegetal (…)” é crime passível de detenção, de seis meses a um ano, e multa.

No parágrafo único do mesmo artigo, observa-se que “incorre nas mesmas penas quem vende, expõe a venda, tem em depósito, transporta ou guarda madeira, lenha, carvão e outros produtos de origem vegetal, sem licença válida (…)”. Embora não se refira especificamente às orquidáceas, a legislação abrange essa família.

E surge um agravante no Art. 53, onde se prevê que a pena será aumentada de um sexto a um terço, caso se trate de espécie rara ou ameaçada de extinção. Isto significa que quem vende ou compra, por exemplo, uma Cattleya labiata, espécie em extinção, retirada diretamente de nossas matas, está cometendo um crime ambiental sobre o qual pesam agravantes.

Comércio ilegal de orquídeas.
O desrespeito à natureza se espalha pelas calçadas. (Foto: Rogério Sella)

Se, por um lado, é flagrante a incapacidade – ou desinteresse, ou incompetência, ou tudo isso junto – por parte das autoridades ditas “competentes”, ao mesmo tempo registra-se a insensibilidade de muitos colecionadores que, mesmo sabendo da ilegalidade, insistem em comprar aquelas plantas maltratadas e cobertas de líquens, que se expõem nas calçadas, bem ao lado das exposições. Admita-se: não haveria “mateiros” se não houvesse compradores de orquídeas “do mato”.

A Associação Cearense de Orquidófilos tem, a propósito, uma atuação exemplar. Desde que foi reativada, em 2007, a ACEO vem trabalhando a consciência ambiental e divulgando, junto aos associados, a ideia de ajudarem no combate ao comércio ilegal de orquídeas. Para desestimular a compra de orquídeas subtraídas das serras cearenses, organizam-se aquisições coletivas em orquidários comerciais, que comercializam apenas plantas reproduzidas (legalmente) em laboratório.

Ao mesmo tempo, expõe-se um argumento de peso: as orquídeas surrupiadas da mata são, em geral, portadoras de fungos, bactérias e outras pragas e doenças que podem contaminar todo o orquidário, obrigando ao uso de dispendiosos defensivos químicos – tão prejudiciais ao bolso quanto à saúde humana e ao meio ambiente. Além do mais, a qualidade dessas flores é sofrível, em contraste com as do comércio legal, que, além de sadias, apresentam ótima estética, como resultado de longo e cuidadoso trabalho de melhoramento genético.

Um sinal evidente de que os esforços da ACEO foram recompensados é o fato de que, nas suas exposições, não se reproduz, jamais, o triste espetáculo do comércio de orquídeas subtraídas da natureza. Apenas os orquidários comerciais estão autorizados a atuar no evento, enquanto se exerce severa vigilância nas proximidades para evitar a atuação de “mateiros” que, na verdade, já descobriram, há muito tempo, que ali não há lugar para eles.

Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone
Compartilhe nas redes sociais

ACEO elege nova Diretoria no próximo dia 29 de abril

Logo ACEOA Associação Cearense de Orquidófilos (ACEO) realiza, este mês, Assembleia Geral destinada a eleger a nova Diretoria para o biênio 2017/2019. A presidente da entidade, Juliana Coelho, espera um grande número de associados, a fim de que haja máxima representatividade na escolha dos novos dirigentes. Poderão votar e ser votados os associados que estiverem quites com a Tesouraria.

A assembleia está marcada para as 15:30h do dia 29 de abril de 2017, na Casa de José de Alencar, em Fortaleza/CE. Segue-se o edital de convocação:

ASSOCIAÇÃO CEARENSE DE ORQUIDÓFILOS-ACEO

EDITAL DE CONVOCAÇÃO

Ref.: ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA – ELEIÇÃO DE NOVA DIRETORIA

A Associação Cearense de Orquidófilos (ACEO), em consonância com o que determina seu Estatuto, convoca o quadro de associados para a Assembleia Geral Ordinária a se realizar no próximo dia 29 de abril de 2017, na Casa de José de Alencar (Av. Washington Soares, 6055) em Fortaleza/CE, a fim de se proceder à eleição da nova Diretoria e do Conselho Fiscal e Deliberativo que conduzirão a entidade no biênio 2017/2019. Estarão aptos a votar e ser votados os associados Fundadores e Efetivos que estiverem quites com a Tesouraria da ACEO. A Assembleia Geral funcionará, em primeira convocação, a partir das 15:30h (quinze horas e trinta minutos), com o mínimo de dois terços dos associados com direito a voto e, em segunda convocação, às 16:00h (dezesseis horas), com qualquer número. Os trabalhos da Assembleia Geral serão dirigidos por um Presidente escolhido pela maioria dos associados presentes e que convocará um deles para atuar como Secretário, não podendo ser nenhum deles membro da Diretoria Executiva da Associação.

Fortaleza, 07 de abril de 2017.

Juliana Coelho

Presidente

Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone
Compartilhe nas redes sociais

Oficinas de cultivo no Orquidário da UFC agora em quatro sessões

Oficinas de cultivo na UFC
Os estagiários têm dado importante contribuição para o êxito das oficinas do Prof. Takane (último à direita).

As oficinas de cultivo realizadas, no primeiro sábado de cada mês, no Orquidário da Universidade Federal do Ceará, têm atraído um crescente número de participantes. Isto levou seu responsável, o Prof. Roberto Jun Takane, a programar, para o mês de abril, quatro sessões consecutivas – desta feita, sobre “Cultivo de condimentos em vaso”. São aguardados mais de 300 participantes.

Em março, as oficinas inscreveram 123 pessoas, tendo arrecadado 248 quilos de alimentos. Até agora, o projeto já reuniu doações no montante de 1.163 quilos, que foram doados a diferentes instituições beneficentes sediadas em Fortaleza. Dentro em breve, será ultrapassado o patamar de 2.000 quilos.

Takane tem contado com o apoio de uma entusiástica equipe de colaboradores formadas por alunos estagiários, ligados ao Centro de Estudos em Floricultura (CEFLOR), e até mesmo estudantes de fora da UFC. O técnico Evangelista, segundo o Professor, tem sido imprescindível, assim como a colaboração do Curso de Pós-Graduação em Arquitetura e Paisagismo da UNI7 e a Cascais Substratos.

O próximo evento está programado para o dia 8 de abril. Haverá oficinas às 7:30h, 8:30h, às 9:30h e às 10:30h, a cargo de Roberto Takane e Lilian Dionísio. As inscrições podem ser feitas na hora, mediante doação de um litro de leite em caixa, mais um quilo de alimento não perecível. Todo o material arrecadado irá para o Orfanato e Educandário Eunice Weaver. Também é possível fazer uma pré-inscrição pelo link: https://goo.gl/forms/8nx3YHqC2U496qnw1

As oficinas acontecem no Orquidário da UFC, que fica no Campus do Pici, em Fortaleza, com entrada pela Rua Humberto Monte. O estacionamento é amplo e gratuito. Contatos com os organizadores podem ser feitos nos endereços:mailto:[email protected]/ [email protected]

Visite a página o Orquidário no Facebook: www.facebook.com/orquidarioufc

Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone
Compartilhe nas redes sociais

Encontro informal da ACEO, de frente para o mar, foi um show de hospitalidade

A segunda reunião informal do ano resultou em um momento muito especial para os membros da Associação Cearense de Orquidófilos-ACEO. O cenário (paradisíaco) foi a residência do associado Adailson Rabelo de Aquino, na Prainha, a 35 quilômetros de Fortaleza. O orquidário do anfitrião encantou a todos pela variedade de espécies e pelo número impressionante de orquídeas floridas. Destaque para as Vandas, que Adailson cultiva com grande sucesso, à beira do mar. Sua casa fica no alto de um morro, com vista direta para a praia, recebendo brisa constante.

Segundo Vera Coelho, “no Adailson tem todo tipo de planta: aquáticas, terrestres, orquídeas e outras epífitas, aéreas, palmeiras, cactos, suculentas, Adenium, trepadeiras e frutíferas”.

A presidente Juliana comenta como aconteceu o encontro: “Quem foi chegando, foi recebido calorosamente pelo Adailson. Havia uma mesa ao lado da churrasqueira, com uma vista belíssima do jardim, piscina e mar. Nessa mesa, muitos comes-e-bebes. Havia caipirinha e cerveja, coco verde, sucos e refrigerantes. Quando a maior parte dos convidados chegou, fomos visitar o orquidário, com o Adailson discorrendo sobre suas plantas. O almoço foi um banquete. Depois, café e as sobremesas. Fizemos um bingo com a Vanda doada, de forma generosa, pelo anfitrião. Em seguida, sorteamos as orquídeas que enchiam uma bacia. Quase todos foram premiados.”

[CONTINUE LENDO…]

Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone
Compartilhe nas redes sociais

Neste fim-de-semana, as “Orquídeas de Verão” estão no Museu da República

Foi aberta ontem, dia 24, no Museu da República, no Rio de Janeiro, a exposição “Orquídeas de Verão”, promovida pela OrquidaRio Orquidófilos Associados. No local, além de apreciar as flores expostas, os visitantes poderão adquirir orquídeas, insumos e peças de artesanato. Também haverá palestra e oficinas de cultivo. A mostra, com entrada franca, prossegue até amanhã, de acordo com a seguinte programação:

Dia 25/03 – Sábado

  • De 8:00h às 17:00h – Visita pública – Exposição e venda
  • 10:00h – Oficina de cultivo básico de orquídeas
  • 14:00h – Palestra “Pragas e doenças”, com Andrew Fogtman

Dia 26/03 – Domingo

  • De 8:00h às 17:00h – Visita pública – Exposição e venda
  • 10:00h – Oficina de cultivo básico de orquídeas
  • 14:00h – Oficina de cultivo básico de orquídeas
  • 17:00h – Encerramento

O MUSEU MERECE SER VISITADO

O Museu da República tem como sede o Palácio do Catete, que fica na Rua do Catete, 153. Construído entre 1858 e 1867, pelo Barão de Nova Friburgo, comerciante e produtor de café, consagrou-se como um monumento de grande importância histórica, arquitetônica e artística. Foi adquirido pelo Governo federal em 1896, para abrigar a Presidência da República. É neste cenário, mais exatamente no belíssimo jardim do Palácio, tombado pelo IPHAN, que a OrquidaRio realiza sua primeira exposição do corrente ano.

Informe-se melhor sobre o Museu em: http://museudarepublica.museus.gov.br

Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestEmail this to someone
Compartilhe nas redes sociais